Ir para o conteúdo

Câmara de Penápolis e os cookies: nosso site usa cookies para melhorar a sua experiência de navegação. Ao continuar você concorda com a nossa Política de Cookies e Privacidade.
ACEITAR
PERSONALIZAR
Política de Cookies e Privacidade
Personalize as suas preferências de cookies.

Clique aqui e consulte nossas políticas.
Cookies necessários
Cookies de estatísticas
SALVAR
Siga nossos canais
Câmara de Penápolis
Acompanhe-nos:
Rede Social Youtube
Rede Social Instagram
Rede Social Facebook
Notícias
Enviar para um amigo!
Indique essa página para um amigo com seus dados
Obs: campos com asterisco () são obrigatórios.
Enviando indicação. Por favor, aguarde...
JUN
07
07 JUN 2017
Saúde Pública está acima dos pombos, diz vereadora Ester sobre Parque Santa Leonor
enviar para um amigo
receba notícias

"As drogas e os patos podem ter algo em comum: não incomodam até entrarem na sua vida".  A comparação é feita pela vereadora Ester Sezalpino Mioto (PSD), numa repercussão sobre a polêmica quando ela pediu  o cumprimento da Lei nº 2.000, de 30 de novembro de 1989 (Código de Posturas). A iniciativa da parlamentar para atenção do poder público  aos problemas no Parque Santa Leonor ocorreu em atendimento a reclamações de diversos munícipes que sofrem e enfrentam riscos gerados no local. É que por trás dos patos e gansos, muitos pombos se proliferam num aproveitamento de comida dada ao elevado número de animais criados em área pública por particular. Os  pombos se alimentam da comida dos patos e gansos e se abrigam nas casas vizinhas provocando muita sujeira e riscos de doenças gravíssimas. "Se o meu trabalho sobre os patos contribuir para evitar que pelo menos uma pessoa não fique doente pelos pombos com risco até de morte, já estarei satisfeita", considera Ester.

A forma mais comum de infecções causadas pelos pombos é feita pelas vias respiratórias, através da inalação das fezes secas depositadas nos mais variados lugares, como em carros, chãos, janelas e calçadas. Porém, outro modo de contaminação é através do piolho dos pombos que podem cair sobre as pessoas quando eles voam. "Só quem sofre com os pombos em suas casas sabe o quanto é importante a ação do poder público com os patos nesse caso. É fácil dar comida para os patos, alimentando assim também os pombos e ir embora, deixando o problema para os outros. Se algo não fosse feito nesse momento, mesmo que diante de tanta polêmica, poderíamos ter futuramente particulares criando galinhas, carneiros e outros animais simpáticos à população, mas de perigos à saúde pública em situação de local e cuidados inadequados",acrescenta a vereadora Ester.

Leis: Ao cumprir uma das principais atribuições de vereador, com fiscalização, Ester tem embasamento em pelo menos duas leis municipais.  A de nº 2000, proíbe a criação para qualquer fim, na zona urbana do município, de bovinos, suínos, equinos, caprinos, ovinos, aves e outros animais,  que de qualquer forma  possam causar incômodo à vizinhança. Já a lei nº 1577, de 01 de julho de 2009, de iniciativa do então vereador Hugo Crepaldi,  proíbe a criação, a manutenção  e a alimentação de pombos domésticos em vias, praças, prédios e locais de acesso público na zona urbana de Penápolis.  

Seta
Versão do Sistema: 3.4.1 - 29/04/2024
Copyright Instar - 2006-2024. Todos os direitos reservados - Instar Tecnologia Instar Tecnologia